#OrePeloMundo
"Orando em todo o tempo..."
Efésios 6: 18
Início » A Oração de Jonathan Edwards

A Oração de Jonathan Edwards

Por Gabriel Cruz | 17 de novembro de 2017


Senhor, tudo o que sou e tenho entrego a ti, de modo que não sou, em nenhum aspecto, meu. Não posso disputar por direito algum neste entendimento, nesta vontade, nestas aflições, os quais estão em mim. Nem tenho direito algum sobre este corpo ou sobre qualquer um de seus membros – não tenho direito sobre esta língua, sobre estas mãos, sobre estes pés; nenhum direito sobre estes sentidos, estes olhos, estes ouvidos, este olfato ou este paladar. Dou a mim mesmo abertamente e não conservo coisa alguma como minha. 

Dou-lhe todo o poder, a fim de que, no futuro, não contenda por direito algum sobre mim mesmo, em qualquer aspecto. Tomo-te por minha completa porção e felicidade, não olhando para coisa alguma como parte de minha felicidade, nem agindo como se isso fosse possível. Tomo Tua Lei por constante norma de minha obediência e lutarei com todas as minhas forças contra o mundo, a carne e o demônio, até ao fim da minha vida. Creio em Cristo e O recebo como um Príncipe e Salvador, e me prenderei à fé e à obediência do evangelho, por mais arriscado e difícil que possa ser confessá-lo e praticá-lo. 

Que o Senhor, por amor a Cristo, olhe este meu compromisso como uma dedicação de mim mesmo e me receba como inteiramente seu, e me trate como tal, em todos os aspectos, quer me aflija, quer me favoreça, ou seja o que for que Te agrade fazer comigo, sou Teu. Daqui em diante, não devo agir, em circunstância alguma, como se pertencesse a mim mesmo. Agirei como se pertencesse a mim mesmo, se alguma vez fizer uso de algum de meus recursos para qualquer coisa que não seja para a Tua glória e se não fizer da Tua glorificação toda a minha ocupação; se murmurar na menor aflição; se sofrer por causa da prosperidade dos outros; se de alguma forma não tiver caridade; se ficar irado por causa de injúrias; se me vingar delas; se fizer qualquer coisa puramente para agradar a mim mesmo ou se rejeitar qualquer coisa pelo bem de meu próprio conforto; se omitir qualquer coisa para fugir de uma grande abnegação; se confiar em mim mesmo; se tomar para mim algum louvor em relação ao bem que Tu fazes por meio de mim; ou se for, de algum modo, orgulhoso. Sendo sensível ao fato de que sou incapaz de fazer qualquer coisa sem Tua ajuda Senhor, humildemente rogo-Te, pela Tua graça, que me capacite a viver conforme esta oração, sendo ela agradável à Tua vontade, por amor a Cristo. Amém.

Jonathan Edwards

Esta oração foi composta a partir das anotações no diário de Jonathan Edwards e de suas resoluções.


0 comentários :

Postar um comentário